psoríase

A psoríase é uma doença crónica da pele, benigna e não contagiosa.

A causa não está esclarecida, mas julga-se que há uma tendência hereditária e factores desencadeantes ao aparecimento e agravamento, nomeadamente o stress, factores emocionais, alguns medicamentos, diabetes não controlada, algumas infecções e o Inverno (frio).

Cerca de 2% da população tem psoríase, afecta ambos os sexos, apesar de aparecer mais cedo nas mulheres. Surge em qualquer idade, inclusive em crianças.

As características da psoríase são:
– Manchas secas com elevação
– Forma arredondada
– Tamanho variado
– Pele descamativa, com cor acinzentada.

Geralmente, as lesões são só na pele, mas há uma percentagem mínima de pessoas com artrite associada. Pode surgir uma ou várias manchas ao mesmo tempo, que podem aumentar e agravar com o tempo. As manchas podem aumentar e diminuir durante uma crise. As manchas ao regredirem deixam essa zona da pele mais clara.

As zonas mais afectadas são as das articulações, como cotovelos e joelhos, couro cabeludo, palma das mãos e pés.

A psoríase tem várias terminologias, consoante o tipo de manchas e local onde surge.

Psoríase vulgar – As manchas são bem delimitadas, apresentam vários tamanhos, cor avermelhada, pele seca e aderente tipo escama prateada ou acinzentada. Surge mais no couro cabeludo, cotovelos e joelhos.
Psoríase invertida – Surge nas zonas mais húmidas do corpo, como as nádegas, genitais, virilhas e região inferior das mamas.
Psoríase gutata – As lesões são pequenas, em grande quantidade, apresentam-se com infecção e têm a forma de uma gota. Afecta mais o tronco e a zona dos braços junto ao pescoço e as coxas. Aparece mais em crianças e adultos jovens.
Psoríase eritrodérmica – As lesões afectam no mínimo 75% da superfície corporal.
Psoríase ungueal –  Surge nas unhas, mais nas das mãos. As unhas deixam de ter a superfície lisa, torna-se puntiforme, com manchas amareladas.
Psoríase artropática – Há comprometimento rápido de várias articulações dos dedos das mãos e pés. Pode afectar também as articulações dos cotovelos e joelhos. Em situações graves com períodos longos, pode ocorrer deformidade nos dedos.
As jovens com menos de 16 anos são mais afectadas, podendo surgir primeiro a artrite.
Psoríase pustulosa – As lesões têm pus. Pode surgir nas mãos e pés ou então de forma generalizada.
Psoríase palmo-plantar – As lesões podem ter fissuras (cortes) e provoca dor. Surge nas palmas das mãos e planta do pé.
O médico faz o diagnóstico após observar as características das lesões ao realizar o exame físico e na história clínica. O médico pode confirmar o diagnóstico através de uma biópsia da pele e pedir exames laboratoriais para tentar determinar a origem da doença.

O tratamento destas lesões é difícil porque depende do estado emocional de cada organismo. O tratamento eficaz durante uma crise pode não resultar em outra. A pessoa deve estar esclarecida sobre a doença, sua evolução, factores desencadeantes, tratamentos disponíveis no mercado e alterações sociais que podem advir.

O médico pode prescrever medicação em pomada ou creme (aplicação tópica), nos casos de psoríase mais leve. Nas situações em que as manchas estão mais extensas e infectadas, pode ser necessário comprimidos ou cápsulas. O médico pode optar pode prescrever tratamento tópico e medicação oral em simultâneo.

Devem evitar a exposição excessiva ao sol, manter uma hidratação boa e permanente da pele.

Estas pessoas podem isolar-se durante as crises devido ao aspecto da pele e das reacções de quem os rodeia, pelo que pode ser necessário apoio psicológico.
O desenvolvimento e tratamento da psoríase são diferentes de pessoa para pessoa e na mesma pessoa em crises distintas.

2010 / 2016 - Laboratório central | Todos os direitos reservados - SAC 37 3222-7700