Proteção ao aleitamento materno

Vocês, pais, devem estar perguntando por que existe uma Norma Brasileira de Comercialização de Alimentos para Lactentes e Crianças de 1ª Infância, Bicos, Chupetas e Mamadeiras (NBCAL) e a Lei N. 11.265, que regulamenta a comercialização de alimentos para lactentes e crianças de primeira infância e também a de produtos de puericultura correlatos, baseado na NBCAL?

A amamentação do bebê é tão importante para a saúde que há alguns anos vêm sendo criados mecanismos de proteção ao aleitamento materno. O objetivo é proteger as crianças que, antes mesmo de nascer, já são consideradas um “consumidor em potencial”.

Considerando-se a saúde do bebê, o cenário ideal é a amamentação exclusiva no peito até os seis meses de idade e, a partir daí, a introdução gradual de outros alimentos saudáveis, mantendo a amamentação até pelo menos os dois anos. Essa é a orientação da Organização Mundial da Saúde.

Vemos, no entanto, que existem muitos apelos de marketing para que os pais ofereçam às crianças, desde muito cedo, fórmulas infantis produzidas a partir do leite de vaca. Da mesma forma, produtos como chupetas, bicos e mamadeiras são transformados em produtos atraentes, apesar de extremamente prejudiciais à saúde da criança. Além de deformar a arcada dentária da criança, bicos podem provocar problemas de fala. E favorecem também a entrada de vírus, germes e bactérias na boquinha de seu filho.

Durante a amamentação, os bicos podem também confundir a pega (sucção das mamas) adequada da criança ao peito materno, dificultando o aleitamento.

É preciso estar atento ao marketing, que responde aos interesses de mercado. Por onde andamos, a propaganda nos alcança. São cartazes, folhetos, vitrines e anúncios nos meios de comunicação. Todos nos apresentam “soluções”. Porém, a amamentação não pode ser vista como um problema. E, por isso, a lei diz que não é permitido fazer promoção comercial de fórmulas infantis para lactentes, mamadeiras, bicos, chupetas e protetores de mamilos.

No que diz respeito à alimentação de seu bebê, siga as orientações de seu pediatra.

Para conhecer mais detalhadamente a regulação da propaganda de produtos para bebês, visite o site da ANVISA: http://www.anvisa.gov.br/e-legis/ ou www.ibfan.org.br

Membro do Departamento Científico de Aleitamento Materno da SBP

2010 / 2016 - Laboratório central | Todos os direitos reservados - SAC 37 3222-7700