Problemas nos pés podem sinalizar doenças graves

Sapatos apertados, saltos altos, tênis impróprios. Quase ninguém se lembra de como trata os próprios pés em meio às preocupações cotidianas. Normalmente, os membros inferiores só são lembrados quando dão sinais dolorosos de que algo vai mal. Calos, joanetes, unhas encravadas, inflamações e até problemas de coluna podem ser sinais de que não apenas os pés, mas partes importantes do corpo estão com problemas.

“Uma simples rachadura no pé pode ser a porta de entrada para qualquer microorganismo, um sinal de falha no sistema imunológico”, alerta a fisioterapeuta Inês Oliveira. Muitos desses sintomas entretanto, acabam passando despercebidos. “Existe uma preocupação tão grande com o rosto, o cabelo, a aparência, que as pessoas esquecem de olhar e de cuidar dos pés, apesar deles serem tão importantes, afinal são a nossa base”, afirma Inês, que é especialista em massoterapia.

Hábitos como o uso de salto alto e de sapatos com bico fino por períodos prolongados, por exemplo, podem trazer conseqüências para todo o corpo. “O uso de calçados inadequados provoca uma alteração biomecânica, causando problemas na coluna, porque você muda seu centro de gravidade”, explica a fisioterapeuta. Ela explica que, para compensar a mudança de postura exigida pelo salto, a coluna acaba tendo que se adaptar.

Um mecanismo que começa com uma maior pressão no antepé e o encurtamento do tendão de aquiles. Através das cadeias musculares, esse desvio alcança a coluna e chega até mesmo à boca. “É possível observar uma alteração anatômica que atinge desde a base até o crânio da pessoa”, acrescenta Inês.

Entre os males associados a um simples calçado inadequado estão inflamações da musculatura do pé, encurtamento muscular e formação de calos. Em casos como o do salto alto, vale ressaltar que o grande problema não é o uso esporádico, mas a utilização contínua e por tempo prolongado desse tipo de calçado.

Até mesmo decisões aparentemente simples, como que meia usar e o tipo de tênis para cada situação, podem fazer a diferença para a saúde dos pés. Para quem trabalha em canteiros de obras, o uso de uma meia inadequada vai propiciar a formação de suor e de um ambiente úmido, escuro e aquecido, que pode atrair microorganismos prejudiciais à saúde.

Podologia – O tratamento, em grande parte dos casos, pode ser feito por um podólogo, profissional especializado no cuidado com os membros inferiores. “O podólogo vai determinar o tratamento mais adequado para cada caso e tratar, com material totalmente esterilizado, dos calos e unhas encravadas”, explica a fisioterapeuta.

A massoterapia também pode ser associada ao cuidado com os membros inferiores, com reflexos positivos para o equilíbrio de todo o corpo. A reflexologia podal, técnica de massagem para os pés que observa a ligação de cada ponto do membro inferior com órgãos do corpo, é uma das modalidades de tratamento que contribuem para a saúde dos pés e para o bem-estar do organismo. “A massagem faz com que a pessoa desenvolva uma consciência corporal grande, para que ela perceba o que não está bem em seu corpo, em sua postura, e possa bloquear esse estímulo”, completa Inês.

 Fonte: Correio da Bahia – http://www.correiodabahia.com.br/

2010 / 2016 - Laboratório central | Todos os direitos reservados - SAC 37 3222-7700