Otite

Otite é uma infecção no ouvido. Pode ser aguda ou crónica e atingir o ouvido externo ou o médio.

Se atingir o ouvido externo, constituído pela orelha e canal auditivo, chama-se otite externa. Geralmente é provocada por bactérias ou fungos que se introduzem através de lesões na pele.

A seguir ao canal auditivo, localiza-se o ouvido médio (otite média) e a seguir o interno ou labirinto.

 A otite média é de origem bacteriana e bastante comum nas crianças. Pode surgir nas alergias respiratórias, devido às secreções nasais, ou nas infecções da faringe e gripes. A bactéria presente nas secreções desloca-se através da tuba auditiva até ao ouvido médio, onde prolifera nas secreções aí acumuladas, causando otite média, que pode tornar-se aguda.

Crianças com a tuba auditiva pequena ou com mau funcionamento estão mais propensas a infecções. O mesmo acontece se a criança tomar o leite numa posição bastante deitada, porque permite a entrada de alimentos e secreções.

Medidas preventivas

– Evitar usar cotonetes porque podem ferir o tímpano ou retirar a cera protectora do ouvido.

– Não coçar ou limpar os ouvidos com objectos que possam criar lesões na pele.

– Seque as orelhas com uma toalha macia para não ferir a pele.

– Manter o nariz limpo de secreções para não se acumularem no nariz e garganta.

– Use protectores macios nos ouvidos quando for nadar para evitar a entrada de água infectada ou que estes fiquem húmidos.

– Não amamente o bebé deitado porque a posição facilita a entrada de líquidos na tuba auditiva ou trompas de eustáquio.

– Evitar a permanência da criança em ambientes com fumo.

– Perguntar ao médico se deve vacinar a criança com a vacina da gripe.

– Sempre que detectar alterações deve consultar o médico e nunca usar medicamentos prescritos em outras situações que lhe pareçam iguais.

Sinais e sintomas

Não é obrigatório estarem todos presentes.

– Dor forte acompanhada de diminuição da audição

– Comichão

– Secreções de líquido seroso, pus ou sangue

– Febre e agitação

– Diminuição do apetite

– Vómitos

– Diarreia.

Pode ser difícil aos pais detectarem uma otite no bebé. Alguns sinais de alerta podem surgir como o mexer na orelha com frequência, se antes não era costume. Chorar quando começa a mamar porque o engolir interfere com os ouvidos. Surgir febre alguns dias após uma constipação ou se a criança chorar de maneira diferente.  

As otites são muito comuns em crianças pequenas. Sempre que suspeitar deve levar a criança de imediato ao médico para evitar complicações da doença como perfuração do tímpano, surdez ou meningite.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito através da informação dos pais e do exame otológico para visualizar o interior do ouvido. O médico pode observar a coloração da pele e membrana do tímpano, se está abaulada e se há edema.

Tratamento

Nos bebés é geralmente prescrito um antibiótico se a infecção for bacteriana. Em crianças mais velhas, o médico pode optar por não prescrever de imediato o antibiótico, para ver como evoluí a infecção.

Se a infecção for provocada por um fungo, o médico prescreve um antifúngico.

Os antibióticos podem ser em xarope, comprimidos ou gotas.

Geralmente são usados analgésicos para retirar a dor e/ou febre, enquanto o antibiótico não começa a actuar. A febre deve desaparecer ao fim do 2º dia de antibiótico.

A recuperação da audição pode demorar mais tempo. Se não acontecer, pode ser sinal de acumulação de secreções no ouvido médio, que podem ser removidas através de cirurgia. O tímpano costuma voltar facilmente à sua forma normal.

As crianças que sofrem de otites com frequência, devem ser encaminhadas para o especialista (otorrino).

Na otite média serosa, cuja característica é a presença de secreção no ouvido, é provocada pela obstrução da tuba auditiva, alergias das vias aéreas superiores, aumento das adenóides e sinusite. Resolvem com medicação ou cirurgia.

A otite média crónica, demora várias semanas a melhorar e provoca diminuição da audição. Há perfuração definitiva da membrana do tímpano resultante de otites médias agudas mal curadas. As secreções têm pus. O tratamento é dirigido ao controlo da infecção, geralmente com gotas no ouvido, uso de protecção no ouvido para evitar entrar água e pode ser necessário cirurgia. Esta tem a finalidade de evitar novas infecções e tentar recuperar alguma audição da perdida.

2010 / 2016 - Laboratório central | Todos os direitos reservados - SAC 37 3222-7700