O exercício físico na terceira idade

O exercício físico é responsável pela prevenção e tratamento de doenças crônicas como diabetes, hipertensão, cardiopatias entre outras patologias que são muito comuns nos idosos.

 Outros problemas, não menos importantes, que acometem esta faixa etária são os riscos de quedas, principalmente pelo aumento de osteoporose, fraqueza muscular, artrites, artroses, entre outras alterações do sistema osteoarticular.

 Isso não faz do idoso um grupo impossibilitado de praticar atividade física, pelo contrário, é exatamente nesta idade que não podemos deixar esta situação ou este benefício de lado.

 Exercícios aeróbios melhoram a função cardiorrespiratória, controlam a pressão arterial, a obesidade, colesterol, glicemia, entre outros fatores de riscos que possuem papel direto em doenças cardiovasculares e que podem levar uma pessoa ao infarto, por exemplo.

 Em relação ao sistema locomotor, o fortalecimento muscular e o treinamento de flexibilidade também desempenham papel fundamental para a qualidade de vida nesta fase. Com a musculatura fortalecida, há uma proteção articular que diminui a sobrecarga da mesma, reduzindo de forma considerável o risco de queda e juntamente com exercícios de flexibilidade irão aumentar a mobilidade articular, trazendo benefícios à funcionalidade deste idoso, como por exemplo, no momento de subir escadas ou abaixar para amarrar os cadarços do sapato.

 Diminuir o processo de perda de massa óssea, que acontece de forma natural durante o processo de envelhecimento, tem como principal benefício reduzir o risco de fraturas e conseqüentemente de quedas. Sem contar nas melhorias relacionadas à parte cognitiva, aumento das relações interpessoais e momentos de lazer que são as principais causas que levam esta população a praticar atividade física de forma regular.

 E será que a recomendação se diferencia muito em relação às outras faixas etárias?

 Pelo contrário. Como em toda recomendação, deve ser ajustada e escolhida de acordo com as características e objetivos pessoais de cada idoso, mas com alguns cuidados e atenção na intensidade, duração e carga dos exercícios.

 Por isso, se você está chegando nesta idade, não se intimide, não deixe de fazer suas atividades físicas! Caso não tenha este hábito incorporado em sua rotina é uma boa oportunidade para iniciá-lo!

 Carla Giuliano de Sá Pinto, educadora física

2010 / 2016 - Laboratório central | Todos os direitos reservados - SAC 37 3222-7700