Monitoramento pode ser melhor tratamento para câncer de próstata

O monitoramento, e não a intervenção ativa, pode ser o melhor tratamento para homens com câncer de próstata do tipo de baixo risco.

A conclusão é de um estudo coordenado pelo professor Par Stattin, da Universidade de Umea, na Suécia, e publicado no Journal of National Cancer Institute.

Como o câncer de próstata local deve ser tratado é uma questão controversa.

Câncer de próstata local é o câncer que não se espalhou para fora da próstata.

Em muitos casos, esses tumores crescem muito lentamente, e uma estratégia de tratamento é simplesmente monitorá-los, ao invés de intervir diretamente de forma ativa.

Risco de morte

Par Stattin e seus colegas avaliaram 6.849 homens com idades até 70 anos, que apresentaram um tumor local com risco baixo ou moderadamente elevado de propagação.

Durante os anos 1997-2002, 2.021 desses homens foram monitorados, enquanto 3.399 tiveram sua próstata removida cirurgicamente e 1.429 receberam um tratamento de radiação.

Com um tempo médio de acompanhamento de oito anos, os pesquisadores detectaram que o risco de morrer de câncer de próstata dentro de dez anos atingiu uma média de 3,6% no grupo que foi monitorado – 2,4% no caso dos tumores de baixo risco e 5,2% nos tumores de risco moderadamente alto.

Esse risco de morte foi um pouco menor entre os homens que se submeteram a tratamentos ativos: 2,5% entre aqueles que foram operados e 3,3% entre aqueles que receberam a radioterapia – os dois indicadores sendo mais elevados do que o acompanhamento para os tumores de baixo risco.

Acompanhamento

O risco de morrer de outras causas de câncer foi quase duas vezes mais alto entre os homens que foram monitorados, o que indica que os homens com outras condições e menor expectativa de vida foram monitorados com mais frequência do que os homens mais saudáveis, o que poderia tornar os resultados ainda mais promissores para o acompanhamento.

Os autores concluem que o acompanhamento do desenvolvimento do tumor é a melhor alternativa para homens com câncer de próstata local do tipo de baixo risco.

2010 / 2016 - Laboratório central | Todos os direitos reservados - SAC 37 3222-7700