Intolerância à Lactose

lactose-602x314O leite é um dos alimentos mais importantes para a saúde, porque é fonte de cálcio e proteínas, essenciais para a formação dos ossos. Porém, muitas vezes a pessoa pode desenvolver intolerância no período de amamentação ou em qualquer outra fase da vida.

A intolerância à lactose é a incapacidade parcial ou total de digerir a lactose – o açúcar do leite. Quem tem esse problema tem dificuldade de digerir o leite, que chega inalterado ao intestino grosso, onde sofre um processo de fermentação por bactérias que gera gases e ácido láctico, sensibilizando o aparelho digestivo. Já a alergia ao leite está ligada à proteína do leite de vaca. Os sintomas mais comuns da alergia ao leite são vômito, manchas e coceira na pele e edema de glote. Os sintomas da intolerância são gases, dor e distensão abdominal, náuseas, irritação intestinal e diarreia.

Existem três níveis de intolerância: leve, moderada e grave. Cerca de 70% da população adulta sofre desse problema em algum nível. Qualquer alimento que contenha lactose pode desencadear o processo: leite de vaca ou leite de cabra, queijo branco, manteiga, margarina, creme de leite, leite condensado, biscoitos, pães e doces feitos com leite e até mesmo medicamentos que contenham lactose.

Para descobrir a doença são feitos testes de tolerância à lactose. Em um deles, o paciente, em jejum, recebe uma dose desse açúcar e, depois de algumas horas, são colhidas amostras de sangue para avaliar os níveis de glicose e verificar se houve a quebra da lactose e posterior absorção/transformação em glicose. Esse teste está disponível na rede pública. Um segundo teste é o respiratório, que monitora a quantidade de hidrogênio expirado após a ingestão de lactose. No entanto, se você tiver suspeita de intolerância, uma forma simples e caseira de  fazer um teste é retirar da alimentação o leite e  seus derivados por uma semana e observar se o desconforto gastrointestinal diminui ou desaparece.

Não existe cura para a intolerância, mas se seguidas as orientações médicas pode-se viver bem. Existem opções de alimentos como leites com baixa lactose, leite de soja, leite de arroz, leite de amêndoas e queijos mais amarelos (menos agressivos nesse caso, apesar de mais gordurosos e calóricos) que podem ajudar no quadro do paciente. 

Para  uma dieta saudável, o paciente pode substituir o leite na dieta por queijo tofu, espinafre, gergelim, amêndoas, repolho, ovos, laranja, brócolis, cenoura, uva-passa e nozes.

Fonte: Gláucia Balbachan
Site: drauziovarella.com.br

2010 / 2016 - Laboratório central | Todos os direitos reservados - SAC 37 3222-7700