Hábitos de inverno facilitam surgimento de micoses no pé

No frio, uso de sapatos fechados e banhos quentes criam condições favoráveis à doençaManter uma higiene rigorosa dos pés é a melhor maneira de mantê-los livres do problema; tratamento pode levar até 40 dias

Sapatos fechados e mais apertados, meias de nylon, banhos quentes -e demorados. Os hábitos e a moda do inverno propiciam o surgimento de micoses nos pés quase tanto quanto no verão, dizem especialistas.
 
Ocorre que, no frio, o pé fica em contato com mais umidade e calor, condições bem favoráveis às micoses. Embora esses microorganismos se proliferem facilmente no verão, o abafamento no inverno torna os pés mais suscetíveis, afirma Denise Steiner, responsável pelo departamento de cosmiatria da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Nos locais menos arejados, a micose entra em um estado crônico, e o tratamento é dificultado, diz.
A meia sintética, por não absorver o suor, é um dos principais complicadores para quem tem uma micose, afirma a podóloga Rosângela Bittencourt. Os longos banhos quentes também fazem parte dos maus hábitos de inverno. “Cria-se um ambiente mais úmido em casa, o que facilita o aparecimento dos microorganismos.”

Segundo Ana Lúcia Recio, da Academia Americana de Dermatologia, além de haver uma persistência maior dos microorganismos no inverno, o incômodo pode ser pior. “Coça mais”, afirma. Ela diz que as micoses são mais comuns nos pés do que em qualquer outra região do corpo. A área entre os dedos e a curva do pé são as mais atingidas.

Manter uma higiene rigorosa é a melhor maneira de manter os pés livres de micoses, diz Recio. Outras dicas são: evitar o uso do mesmo sapato dois dias em seguida; usar talco entre os dedos; colocar os sapatos para ventilar; preferir meias de algodão a meias de nylon ou de qualquer tecido sintético.
Vermelhidão, descamação da pele, formação de vesículas (pequenas bolhas de água) e coceira são os principais sintomas das micoses. Por isso, é fácil confundi-las com alergias, explica Recio. “Se não for uma micose muito óbvia, é bom fazer um exame para ver se não é alguma reação alérgica.”
Algumas pessoas são mais predispostas a ter micoses.

“Existe um antifúngico natural que todos nós temos. Mas aspectos da própria constituição física levam algumas pessoas a terem mais problemas”
E, uma vez adquirida, a chance de a micose voltar é sempre maior, porque o microorganismo altera a imunidade local.

“Ao contrário de outras doenças, como catapora, a micose, quando aparece na primeira vez, deixa o corpo mais vulnerável”, explica a dermatologista Ligia Kogos.

O tratamento das micoses se dá por meio de medicação de uso tópico ou oral, e pode levar 40 dias.

 Fonte: Folha de São Paulo – http://www.folha.com.br/

2010 / 2016 - Laboratório central | Todos os direitos reservados - SAC 37 3222-7700