Doenças sexualmente transmissíveis (DST)

AS DSTs são doenças transmitidas por meio da relação sexual, seja ela homossexual ou heterossexual. As vias de transmissão incluem também o sexo oral e anal. Sendo assim, pode ser transmitida através do contato sexual homem com mulher, homem com homem ou mulher com mulher.

As DSTs podem causar disfunções sexuais, esterilidade, aborto, contaminação fetal, bebês com baixo peso, natimortos, deficiência física ou mental, predispõem a determinados tipos de câncer e pode inclusive levar a morte. Além disso, uma DST pode favorecer a transmissão de uma outra doença como, por exemplo, a transmissão do HIV.

Como exemplo de DSTs temos: candidíase, herpes genital, HPV, sífilis e Aids. É importante saber que uma DST pode acometer qualquer pessoa, independentemente da condição social, raça, estado civil ou idade. Mas determinados indivíduos estão mais propensos a contrair uma DST, por exemplo:

  • Quem tem relações sexuais sem camisinha;
  • Quem tem parceiro que mantém relações sexuais com outras pessoas sem camisinha;
  • Pessoas que usam drogas injetáveis e compartilham seringas;
  • Pessoas que têm parceiros que usem drogas injetáveis, compartilhando seringas;
  • Pessoas que recebem transfusão de sangue não testado.

Quais os principais sinais que fazem suspeitar de uma DST?

Feridas (úlceras): aparecem nos órgão genitais ou em qualquer parte do corpo. Podem doer ou não.

Corrimentos: aparecem no homem e na mulher no canal da uretra, vagina ou ânus. Podem ser esbranquiçados, esverdeados ou amarelados como pus. Alguns têm cheiro forte e ruim. Tem gente que sente dor ao urinar ou durante a relação sexual. O corrimento quando é pouco pode passar desapercebido, principalmente em mulheres que apresentam órgãos sexuais internos.

Verrugas: são como caroços; podem parecer uma couve-flor quando a doença está em estágio avançado. Em geral não dói, mas pode ocorrer irritação ou coceiras.

Ardência ou coceira: mais sentidas ao urinar ou nas relações sexuais. Há pessoas que sentem as duas coisas, outras somente uma e muitas pessoas não sentem nada e, sem saber, transmitem DST para seus parceiros. Este último conceito é importante, pois o paciente pode não ter nenhuma queixa e ser portador de uma DST.

Dor e mal-estar: embaixo do umbigo, na parte baixa da barriga, ao urinar, ao evacuar ou nas relações sexuais.

Uma das principais características das DSTs é o fato de elas facilitarem a transmissão sexual do HIV. Algumas delas aumentam em até 20 vezes o risco da infecção pelo vírus da aids. Além disso, quando não diagnosticadas e tratadas precocemente, podem levar a pessoa a ter complicações mais graves e até à morte.

Muitas DSTs, quando acometem gestantes, podem atingir o feto durante seu desenvolvimento, causando-lhe lesões e trazendo como conseqüências desde a interrupção espontânea da gravidez (aborto) ou até o nascimento de crianças com graves malformações.

Assim, ao perceber algum sinal de DST, procure um médico.

2010 / 2016 - Laboratório central | Todos os direitos reservados - SAC 37 3222-7700