Doenças oculares

São aquelas que podem afetar os olhos de uma maneira geral, ou seja, a pálpebra, globo ocular ou órbita, conjuntiva ocular, córnea, cristalino, fundo de olho ou retina e nervo óptico. Doenças localizadas nestas estruturas podem levar a um comprometimento na visão com diferentes gravidades dependendo do tipo de doença.

As doenças oculares se restringem aos olhos?

Existem as doenças tipicamente oculares, como catarata (perda da transparência do cristalino) e glaucoma (aumento da pressão nos olhos com lesão no nervo óptico). Algumas doenças de caráter sistêmico, ou geral, como a hipertensão (pressão alta), o diabetes e o reumatismo podem levar a sérias complicações oculares com o olho sendo afetado de forma uni ou bilateral.

Quais são as principais doenças oculares?

As principais doenças oculares são: 

 • Catarata (perda de transparência do cristalino);

 • Conjuntivite (inflamação da conjuntiva que pode ser infecciosa ou alérgica);

 • Degeneração macular relacionada à idade (alterações na retina em função da idade);

• Estrabismo (desvio ocular);

 • Glaucoma (aumento da pressão intra-ocular com lesão no nervo óptico);

• Hordéolo (Terçol);

• Olho Seco;

• Pterígio (crescimento anormal da conjuntiva sobre a córnea);

• Retinopatia Diabética (comprometimento da retina causado pelo diabetes);

 • Retinopatia Hipertensiva (comprometimento da retina pela hipertensão arterial).

 OBS: Miopia, hipermetropia e astigmatismo são considerados defeitos da visão ou ametropias.

Quais os principais sintomas das doenças oculares?

• Coceira ou prurido;

• Secreção ocular;

• Desvio ocular;

• Diminuição da Visão ou embaçamento visual;

• Dor ocular;

• Lacrimejamento;

• Manchas visuais ou Moscas Volantes;

• Flashes luminosos ou fotopsias;

• Olho vermelho.

Quais os principais cuidados que se deve tomar para se evitar as doenças oculares?

• Boa higiene pessoal;

• Boa alimentação;

• Realização de pré-natal na gravidez, afim de se prevenir as infecções congênitas que podem interferir, no desenvolvimento da visão;

• Cuidar da saúde em geral, já que as doenças sistêmicas como a hipertensão e o diabetes podem afetar os olhos;

• Visitar regularmente o oftalmologista desde os primeiros meses de vida.

Como é realizado o diagnóstico e o tratamento das doenças oculares?

O tratamento das doenças oculares depende do diagnóstico do oftalmologista, clínico ou especialista. Após a consulta e os exames subsidiários em medicina diagnóstica, que sempre serão indicados pelo médico, pode-se iniciar o tratamento clínico ou cirúrgico (que pode incluir a aplicação de raio laser) conforme a doença. As doenças oculares, assim como as sistêmicas, podem levar à cegueira irreversível se não tratadas.

CATARATA

O QUE É CATARARATA?

Doença ocular definida como qualquer perda da transparência do cristalino (lente interna do olho), que afeta a acuidade visual. Consiste na principal causa de cegueira no Brasil.

CLASSIFICAÇÃO:

• Senil ou do envelhecimento;

• Congênita, quando a criança nasce ou desenvolve catarata na infância;

• Traumática após um trauma na região do olho.

SINTOMAS: Embaçamento da visão

TRATAMENTO: A única forma de tratamento é cirúrgica. Na maioria das vezes, é colocada uma lente intra-ocular, no lugar do cristalino.

Indicação Cirúrgica:  Somente quando a queda da visão interfere nas atividades do paciente.

Contra Indicações:  Devem ser pesados possíveis fatores de risco (doenças do coração, hipertensão e diabetes) antes de do paciente ser submetido ao tratamento cirúrgico.

Exames Pré-operatórios: Exame clínico e oftalmológico completo.

CONJUNTIVITES

O QUE É CONJUNTIVITE?

Termo usado para definir a inflamação da conjuntiva (fina membrana que recobre a maior parte do globo ocular). Ela pode ser aguda, com duração de até 4 semanas ou crônica, quando dura mais de 4 semanas.

As causas das conjuntivites são variadas, podendo ser infecciosas, alérgicas, tóxicas e outras. Quando infecciosas, são contagiosas e, geralmente, causadas por vírus ou bactérias.

As mais comuns são as causadas por vírus. Nesta forma de conjuntivites, a pessoa pode se contaminar pelo ar, quando em aglomerações, em ambientes fechados ou muito poluídos, através da água de piscina, se houve contato com objetos contaminados ou ainda se teve contato com uma pessoa acometida.

As conjuntivites virais são auto-limitadas (vêm e vão embora). Alguns vírus são mais agressivos do que outros, gerando extremo desconforto, dor ou deixando sequelas (cicatrizes).

SINTOMAS: O paciente reclama de coceira (ou prurido), olho vermelho, sensação de areia, lacrimejamento, sensibilidade à claridade (ou fotofobia) e saída de secreção, que pode ser clara ou amarela. Às vezes, a doença pode estar associada à dor de garganta, febre e dores no corpo.

DIAGNÓSTICO: Apesar dos sintomas serem semelhantes, é fundamental que o oftalmologista examine os olhos do paciente na lâmpada de fenda (um tipo de microscópio) para fazer a diferenciação entre elas, dar o diagnóstico correto e o tratamento adequado.

TRATAMENTO: Não se recomenda a auto-medicação ou uso indiscriminado de colírios antibióticos ou corticóides, que podem estar contra-indicados para o quadro e agravá-lo.Deve-se usar colírios de lágrimas artificiais até 5 vezes ao dia, compressas geladas e separar objetos de uso pessoal. Estas medidas aliviam os sintomas, reduzem o desconforto e não mascaram o quadro.

GLAUCOMA DE ÂNGULO ABERTO

O QUE É GLAUCOMA?

Doença ocular que leva à cegueira caso não seja tratada. Estima-se que cerca de 1 milhão de brasileiros têm algum tipo de glaucoma e metade não sabe. Muitas pessoas que sofrem de glaucoma não sabem como perderam a visão. Isso se deve ao fato de que o glaucoma pode danificar o olho sem nenhum sinal ou sintoma. O glaucoma está relacionado com a pressão interna do olho sendo, porém, uma doença do nervo óptico. Este é responsável pela transmissão das imagens que percebemos do olho até o cérebro. Quando a pressão do olho é muito alta, ela pode lesar este nervo, prejudicando a visão. A destruição do nervo óptico resulta em cegueira.

Há diversos tipos de Glaucoma, mas discutiremos aqui o tipo mais comum: o Glaucoma de Ângulo Aberto

Algumas pessoas são mais suscetíveis ao glaucoma e devem procurar rotineiramente um oftalmologista, são elas:

• Pessoas com algum membro da família com glaucoma;

• Dabéticos;

• Pessoas com miopia alta;

• Pessoas que sofreram uma lesão grave nos olhos;

• Usuários de colírios com corticóides.

É importante descobrir e tratar o glaucoma o mais cedo possível para prevenir os danos causados ao nervo óptico e à visão.

OBS: A pressão do olho independe da pressão arterial. 

O QUE CAUSA O GLAUCOMA?

Dentro do olho flui permanentemente um líquido transparente, chamado humor aquoso. Este líquido não faz parte da lágrima que lubrifica a superfície externa do olho. Ele flui e drena o olho o tempo todo. Se há uma obstrução, a água se acumula e a pressão intra-ocular aumenta. Se há produção excessiva deste líquido, a pressão também aumenta.

SINTOMAS: Infelizmente os sintomas só aparecem mais tarde, quando o glaucoma já causou uma lesão irreversível.

DIAGNÓSTICO: Durante um exame completo, totalmente indolor, o oftalmologista medirá a pressão ocular com um instrumento especial (tonômetro) e observará o fundo de seus olhos para detectar se há sinais de glaucoma.,

TRATAMENTO: Uso de medicamentos, geralmente em forma de colírios. Alguns casos necessitam de cirurgia (a laser ou filtrante) quando o tratamento clínico à base de colírios não controla a doença.

Com a detecção precoce e tratamento adequado, a visão pode ser preservada e os pacientes capacitados a uma vida normal.

DIABETES E DOENÇAS OCULARES

O QUE É RETINOPATIA DIABÉTICA?

A Retinopatia Diabética é uma complicação ocular do diabetes, que afeta os vasos da retina. É a segunda causa de cegueira em adultos no Brasil. Os principais fatores de risco estão relacionados à duração do diabetes, grau de controle glicêmico, níveis de pressão arterial, existência de doença renal e predisposição genética.

SINTOMAS: Diminuição da acuidade visual e até cegueira

DIAGNÓSTICO: O diagnóstico é realizado através do mapeamento de retina.

TRATAMENTO:O tratamento é realizado através da fotocoagulação a laser de retina e controle rigoroso dos níveis de glicose. A fotocoagulação, no caso da retinopatia diabética, serve para tratar e prevenir a progressão da doença na retina, podendo melhorar ou não a acuidade visual. São necessárias uma ou várias sessões a critério do oftalmologista, com duração aproximada de 50 minutos (incluindo a dilatação pupilar). As complicações da fotocoagulação estão relacionadas à piora da visão nos primeiros dias, redução do campo visual e surgimento de manchas escurecidas (escotomas) na área central que dependem da localização e extensão do tratamento.

A realização de angiofluoresceinografia antes e após o tratamento poderá ser útil para o controle das lesões.

DOENÇAS OFTALMOLOGICAS DA 3a IDADE

O QUE É DEGENERAÇÃO MACULAR RELACIONADA À IDADE  (DMRI) ?

Trata-se de doença que afeta indivíduos com mais de 50 anos de idade, sendo importante causa de diminuição da acuidade visual. Acomete a mácula, local da retina responsável pela visão central. Inicialmente, formam-se lesões na retina, chamadas drusas. Depois, surgem alterações vasculares, chamadas neovasos.

SINTOMAS: Diminuição da acuidade visual 

DIAGNÓSTICO: Através do mapeamento de retina e angiofluoresceinografia.

TRATAMENTO: Aplica-se uma droga (verteporfirina) na veia do braço e se ativa esta medicação com auxílio de um laser na região central da retina. Esta fotoativação causa destruição seletiva dos neovasos, poupando o tecido retiniano. Poderá ser necessária mais de uma aplicação. O tratamento dura aproximadamente 50 minutos, incluindo o tempo para dilatação pupilar. Os possíveis efeitos adversos do tratamento consistem em  distúrbios visuais, reações no local da injeção e dores nas costas.

A angiofluoresceinografia pode ser útil no pré e pós-tratamento para controle das lesões. 

MOSCAS VOLANTES

O QUE SÃO MOSCAS VOLANTES?

São pontos pretos, manchas escurecidas ou fios que se assemelham a teias de aranha, observados principalmente quando olhamos para uma parede branca ou para o céu claro. Normalmente, se movem com o olhar e são freqüentemente relatados na consulta oftalmológica.

Ocorrem por causa de alterações no corpo vítreo (gelatina transparente que sustenta o fundo do olho), principalmente em indivíduos míopes, com hipertensão arterial sistêmica ou após alguma doença inflamatória do fundo do olho. Exames ,

SINTOMAS: Pontos ou manchas escurecidas que são observados sobretudo quando olhamos para uma parede branca ou para o céu claro.

DIAGNÓSTICO: Deve ser realizada inicialmente uma avaliação oftalmológica com um exame chamado mapeamento de retina para se detectar alguma lesão na retina. Caso não haja nenhuma anormalidade no fundo do olho, recomenda-se a simples observação das moscas volantes e o retorno ao oftalmologista caso haja modificação nos sintomas

2010 / 2016 - Laboratório central | Todos os direitos reservados - SAC 37 3222-7700