Dezembro Laranja alerta para a prevenção ao câncer da pele

Ação foi desenvolvida pela Sociedade Brasileira de Dermatologia e busca diminuir a incidência do câncer mais comum no Brasil

Ação foi desenvolvida pela Sociedade Brasileira de Dermatologia e busca diminuir a incidência do câncer mais comum no Brasil

 
 
Após o Outubro Rosa e o Novembro Azul, o Brasil ganha mais uma campanha para lembrar a prevenção e diagnóstico precoce do câncer: o Dezembro Laranja. A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) criou o dia após 15 anos de Programa Nacional de Combate ao Câncer da Pele. A população vai ter um mês inteiro para lembrar de como evitar o câncer que mais atinge o país.
 
Segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer), cerca de 182 mil pessoas apresentarão a doença neste ano. E a cada quatro casos de câncer no país, um é da pele, ou seja, 25% dos casos. Mas essa realidade não é apenas brasileira: a cada ano, são mais de 200 mil novos casos do câncer da pele no mundo e o número segue aumentando. Foi para reverter essa situação que a Sociedade Brasileira de Dermatologia resolveu dedicar todo o mês de dezembro para lembrar a prevenção da doença.
 
O câncer da pele, entre todos os tipos da doença, é o único que pode ser prevenido. De acordo com o dermatologista e coordenador do Programa Nacional de Combate ao Câncer da Pele, Dr. Marcus Maia, “Nenhum outro câncer oferece essa prevenção primária. É possível impedir que a doença se manifeste, tomando algumas medidas básicas de proteção: deve-se usar sempre o protetor solar, bonés, óculos escuros… Ninguém deveria morrer por causa de uma pinta. O Dezembro Laranja precisamos alertar também os idosos: atualmente, a média de idade de incidência do câncer não melanoma é de 69 anos”, revela.
 
Atualmente, o câncer da pele é visto como uma das principais doenças desenvolvidas no trabalho, como revela o Dr. Marcus Maia. “Muitas profissões têm o câncer de pele como uma das principais doenças que atingem seus trabalhadores. Pessoas que ficam expostas ao sol durante todo o dia (como pescadores e trabalhadores da construção civil, por exemplo) precisam estar sempre protegidos com o uso do protetor solar, chapéus e roupas adequadas para seu trabalho”.

Fonte/Autoria.: Patricia Limeira

2010 / 2016 - Laboratório central | Todos os direitos reservados - SAC 37 3222-7700