Cirurgia Bariátrica – Dúvidas frequentes

01.- Tenho pedras na vesícula, posso ser operado?

As pedras (ou cálculos) poderão ser retiradas durante a cirurgia para tratamento da obesidade. 

02.- Tenho hérnia de hiato, posso ser operado?

A cirurgia para tratamento da obesidade corrige a hérnia de hiato. 

03.- Existe idade mínima ou máxima para ser submetido à cirurgia?

Não. Pode-se realizar a cirurgia inclusive em adolescentes e idosos, desde que haja indicação cirúrgica e seja feita uma boa avaliação clinica. 

04.- Há algum preparo a ser realizado na véspera da cirurgia?

Sim: jejum, a partir da meia noite do dia anterior, inclusive de água. 
No dia da cirurgia, para os homens: são raspados os pêlos do abdome. 
Todos os pacientes recebem – aproximadamente 2 horas antes da cirurgia – uma injeção de anticoagulante (aplicada na gordura da barriga). 

05.- Qual a duração do procedimento cirúrgico?

A cirurgia tem duração aproximada de 1h30. Mas o paciente só receberá alta do centro cirúrgico quando estiver acordado e com a pressão arterial, a respiração e a freqüência cardíaca dentro de padrões considerados estáveis.

06.- Como será a dieta após a cirurgia?

Nos primeiros 15 dias a alimentação será baseada apenas em líquidos e, a seguir, a dieta será do tipo pastosa. 
É recomendado ingerir, pelo menos, 1,5 litros de líquidos por dia, incluindo caldos salgados. Isso evitará a desidratação e previnirá a formação de “pedras” nos rins. Portanto, a cada 2 ou 3 minutos, enquanto estiver acordado, tome 20 ml (1/2 xícara de café) de liquido.
• Água (sem gás) e chás. 
• Suco de frutas, coado. 
• Caldos coados e não batidos (legumes, carne magra, frango sem pele, peixe), temperados normalmente. 
• Água de coco ou Gatorade® (até 300ml por dia). 
• Gelatina dietética. 
• Leite e iogurte natural, desnatados (podem ser batidos com frutas e coados).  
• Use adoçantes.

07.- Não posso comer nada nos 30 primeiros dias?

Não. Comer alimentos sólidos ou sopas cremosas nos primeiros 30 dias poderá prejudicar a cicatrização do grampeamento do estômago, que leva ao risco de nova cirurgia. Portanto não confie na sorte ou em informações de terceiros

08.- Posso comer doces e gorduras?

O uso de alimentos calóricos, doces – como pudins, sundaes, milk shake, leite condensado e sorvetes, entre outros – e gorduras poderá causar a chamada de “síndrome de dumping” (diarréia, tontura, suor frio, batimento acelerado do coração e queda da pressão arterial), além de prejudicar a perda de peso.

09.- Posso ingerir bebidas alcoólicas e refrigerantes?

Nos primeiros seis meses não se deve tomar refrigerantes, pois o gás causa sensação de mal estar e “estufamento”, além de provocar náuseas e vômitos. As bebidas alcoólicas são absorvidas mais rapidamente devido à cirurgia, o que além, de potencializar seu efeito,, prejudica muito o fígado.

10.- Posso fumar?

O hábito de fumar deve ser abandonado. A tosse devido ao cigarro causa dores, forçando o corte que não cicatrizará bem, favorecendo a formação de uma hérnia. Fumando, haverá mais chances de ficar gripado e até mesmo de adquirir uma pneumonia.

11.- Posso tomar vitaminas?

O uso de complexos de vitaminas e minerais também será orientado pelo médico. Se necessário, serão administradas a partir de 30 ou 60 dias após a cirurgia.

12.- Poderei continuar tomando os remédios que utilizava antes?

Receberá orientação médica sobre os medicamentos continuarão a ser utilizados.

13.- Quando poderei dirigir novamente?

Na cirurgia laparoscópica, em média, após 7 dias. 
Você receberá orientações em seus retornos. 

14.- Meus cabelos estão caindo: o que fazer?

Queda de cabelos acontece com freqüência, mas não é permanente. Isso ocorre devido ao estresse cirúrgico e também à adaptação do organismo à nova condição. Porém, eles voltam a crescer. Assim também é comum, por algum tempo, que as unhas tornem-se fracas e a pele ressecada.
Toda essa condição é passageira, Converse com seu médico a respeito.

15.- Será que estou perdendo pouco peso?

A perda de peso varia para cada pessoa. Uns perdem mais no início, outros mantém uma perda menor, mas constante. No entanto, essa perda é sempre proporcional ao peso inicial, os mais pesados perdem, logicamente, mais peso.   
Existe uma média de perda de peso. Em geral, ao final de um ano após a cirurgia, essa perda varia de 30 a 40% do peso inicial: de 8 a 15 % no primeiro mês, de 15 a 20% no primeiro trimestre, de 25 a 29% no primeiro semestre.

16.- Precisarei, necessariamente, fazer cirurgia plástica após a cirurgia de obesidade?

Nem todos os operados necessitam ou querem fazer cirurgias plásticas. 
Deve-se aguardar, pelo menos, 1 ano para iniciar as plásticas. Naqueles que perderam muito peso, às vezes são necessárias várias cirurgias para remodelar o corpo e, por vezes, são necessários retoques para melhorar uma região já operada.

17.- Posso engravidar e amamentar após a cirurgia de obesidade?

Sim, desde que você espere pelo menos um ano após a realização da cirurgia da obesidade e faça uma avaliação com um dos clínicos da equipe que realizou a cirurgia. Deverá ter um acompanhamento paralelo dessa equipe, junto ao Ginecologista, no pré-natal. 

2010 / 2016 - Laboratório central | Todos os direitos reservados - SAC 37 3222-7700