Câncer Urológico

O cânceres da próstata, da bexiga e do rim estão entre os tumores malignos mais freqüentes que afetam o organismo humano. Essas localizações correspondem a mais da metade dos casos de câncer no homem. Quase sempre são silenciosos , de modo que o diagnóstico só se torna possível bastante tardiamente. Atualmente, com medidas adequadas de prevenção e detecção precoce, pode-se diagnosticar esses tumores em fases iniciais, conseguindo-se, com um tratamento adequado, cura em cerca de 90% dos casos.

 

Câncer de próstata

– É o tumor maligno mais freqüente no sexo masculino. Representa a segunda causa de morte por câncer no homem. Os três exames utilizados para o diagnóstico precoce do câncer de próstata são: o toque retal, a dosagem no sangue do antígeno prostático específico (PSA) e a biópsia da próstata. A próstata pode aumentar de tamanho, devido a alterações benignas (mais freqüentemente) ou malignas, levando à dificuldade de micção. Entretanto, é mais importante fazer o diagnóstico de câncer de próstata antes que surja esse sintoma. Por isso é importante que todo homem após os 50 anos de idade, vá ao médico uma vez por ano, para que este examine a próstata através do toque retal (exame que permite que o médico, introduzindo um dedo através do ânus do homem, apalpe a parte interna do reto e da próstata) e para fazer o exame de sangue de dosagem do PSA.

 

Câncer de bexiga

 – É a quarta neoplasia mais freqüente em homens nos Estados Unidos e a segunda do trato urogenital, após o câncer da próstata. Geralmente a investigação diagnóstica é motivada pela presença de sangue na urina, sendo a cistoscopia e a biópsia as principais armas para o diagnóstico definitivo. A citologia urinária, a urografia excretora, a ultra-sonografia e a tomografia são importantes para o estadiamento dessa neoplasia.

 

Câncer do rim

 – Os tumores renais correspondem a 3% das neoplasias que acometem os seres humanos. Têm maior incidência entre a 5ª e 7ª décadas de vida. Inicialmente não apresentam sintomas, porém, a presença de sangue na urina ou a presença de massa palpável no flanco são sintomas freqüentes. A imagem (urografia excretora, ultra-sonografia, tomografia) é a principal arma para o diagnóstico precoce.

 

Câncer do testículo e do pênis

 – São tumores menos freqüentes, com a agravante de ter maior incidência em pessoas jovens em idade produtiva. O exame físico parece ser o melhor meio de detecção precoce, visto que a presença de massa testicular e ferida no pênis são as queixas mais freqüentes. A criptorquidia ( testículo que não desce para a bolsa escrotal) e a fimose são os fatores importantes que influem no aparecimento desses tumores. . A biópsia é o exame definitivo para o diagnóstico. A criptorquidia e a fimose devem ser corrigidas pela cirurgia.

2010 / 2016 - Laboratório central | Todos os direitos reservados - SAC 37 3222-7700