Câncer do Intestino: Prevenção e Rastreamento

Rastreamento do câncer intestinal é um conjunto de atitudes que permite identificar pólipos ou câncer no intestino de forma precoce (em tempo de curar).

Quando iniciar o rastreamento? Quem tem risco para câncer intestinal?

A maioria das pessoas tem baixo risco ou não apresenta sintomas de pólipos ou de câncer intestinal. Existem algumas regras importantes para orientar o início do rastreamento, de acordo com o perfil individual e familiar de cada um. Estes critérios de indicação para o início do rastreamento são fundamentados no risco individual para desenvolver o câncer intestinal.

Sintomas do câncer do intestino

Uma indicação objetiva para realizar exames para pesquisa de pólipos ou tumor é a presença de sintomas.

Tumores de intestino geralmente crescem de forma silenciosa. Nem todo sangramento pelo ânus provém de hemorróidas, assim como hemorróidas não causam câncer. Mas o sangramento proveniente de hemorróidas pode atrapalhar ou confundir o diagnóstico de câncer. Os sintomas de pólipos ou câncer intestinal só aparecem quando estão mais desenvolvidos. É recomendado que você consulte um médico especialista, sempre que apresentar:

• sangramento ao defecar ou sangue nas fezes,
• mudanças no ritmo de funcionamento intestinal (diarréia e constipação alternados), vontade frequente de ir ao banheiro, sensação de gases ou distensão,
• dor ou desconforto abdominal ou anal,
• fraqueza, anemia e perda de peso sem causa aparente.

Exames principais para o rastreamento

Exame proctológico

É o exame mais importante para detecção precoce do câncer do ânus e do reto. Este exame consiste no toque retal combinado à retossigmoidoscopia. Nos indivíduos com alto risco, ou naqueles que apresentam sintomas, o exame proctológico deve ser complementado pela colonoscopia.

Pesquisa de sangue oculto

É um teste laboratorial que verifica a presença de sangue não visível nas fezes.

Colonoscopia

É o exame em que o médico especialista avalia através de um equipamento óptico, todo o intestino por dentro. Este exame permite diagnosticar os pólipos, assim como possibilita retirá-los.

Quando deve ser feito e como é o exame de rastreamento?

Grupo de risco normal

pessoas que não apresentam sintomas, não são portadores de doença inflamatória ou não possuem história familiar. Iniciar rastreamento a partir dos 50 anos, através de:
• pesquisa de sangue oculto nas fezes (anual),
• retossigmoidoscopia anual ou bianual.

Grupo de risco aumentado

Pessoas com sintomas intestinais:
– Iniciar os exames de imediato!

Pessoas com antecedente pessoal ou familiar de câncer do intestino, ovário, endométrio, mama, tireóide:
– Iniciar o rastreamento aos 40 anos (ou 10 anos antes do familiar com doença mais precoce) através de colonoscopia.

Pessoas com antecedente de doença inflamatória intestinal (retocolite ou doença de Crohn):
– Iniciar o rastreamento ao completar 7-10 anos de tratamento da doença.

Medidas e atitudes para prevenção do câncer do intestino grosso

• Alimentação e estilo de vida saudável são muito importantes.
• Consumo de fibras (25 a 30g de fibras), frutas e vegetais frescos.
• Redução de gorduras na dieta (principalmente as de origem animal).
• Redução do consumo de gordura e de álcool.
• Cessar o hábito do fumar.

2010 / 2016 - Laboratório central | Todos os direitos reservados - SAC 37 3222-7700