As pessoas obesas têm mais câncer de mama ?

Depende.
O peso elevado influencia diferentemente o risco de acordo com o estado hormonal da mulher (antes ou depois da menopausa).

 Após a Menopausa.
A obesidade é considerada como fator de risco na pós-menopausa. A hipótese mais aceita é o aumento dos hormônios femininos (estrogênio), pois o tecido gorduroso pode transformar o hormônio produzido na suprarrenal (androstenidiona) em estrona (hormônio feminino). Quanto maior o nível de estrona, maior seria o risco de câncer de mama. Numa pesquisa com 337.000 participantes, as obesas (IMC>28Kg/m2) tiveram 26% mais tumores mamários. Outro estudo observou que o ganho de 20 a 29kg aumentava o risco em 56% e o ganho de 40 a 49% dobrava as chances de câncer mamário. Já a perda de peso apresenta efeito protetor, principalmente em mulheres que na utilizam terapia hormonal. Em outra coorte, a perda sustentada em pelo menos 10Kg reduzia o risco em 57%.

Antes da menopausa.
Contrariamente aos resultados anteriores, o peso elevado não aumenta o risco em mulheres antes da menopausa, podendo inclusive diminuir o risco. Os mecanismos deste efeito não são muito claros. A principal hipótese é a anovulação causada pela obesidade, que pode acarretar menores níveis hormonais circulantes. Outras hipóteses seriam a diferenciação celular mais precoce ou menores níveis de fatores de crescimento.

Numa análise combinada de estudos de coorte havia diminuição de 14% no risco para cada aumento de 5 Kg/m2 no IMC. Apesar do grande interesse em qualidade de vida saudável e dos múltiplos questionamentos sobre estilo de vida e prevenção do câncer de mama, poucos fatores interferem significativamente na incidência da doença. O controle no uso de bebidas alcoólicas, o estímulo à atividade física, a dieta saudável e o controle do peso devem ser orientados muito mais por melhorar a qualidade de vida geral do que pelos eventuais benefícios no controle do câncer de mama.

2010 / 2016 - Laboratório central | Todos os direitos reservados - SAC 37 3222-7700